03/05/2022

GESTÃO DA PERMANÊNCIA NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR (Parte 2: A Análise das Causas)

Do fenômeno ocorrido (a evasão) podemos buscar as causas e analisá-las. Das indicações apresentadas pelo Professor Eric Spears, Diretor de Educação Internacional da Mercer University, em encontro promovido pela Carta Consulta e realizado em maio de 2010 em Belo Horizonte, destacam-se causas acadêmicas, relacionadas a uma preparação inadequada para responder às demandas de uma vida universitária, o desinteresse com o método ou com o conteúdo; causas motivacionais, decorrentes de atritos relacionados ao baixo nível de comprometimento com a Instituição ou perceptível irrelevância da experiência com a IES ou ainda, a falta de um projeto de vida profissional; causas psicossociais, decorrentes de fatores sociais ou emocionais e; causas financeiras, ou seja, incapacidade de arcar com os custos do investimento no ensino superior ou percepção de que tal investimento não indica um retorno satisfatório, sob os aspectos financeiros, pessoais ou profissionais.

Vincent Tinto, Professor da Syracuse Universtity e muito conhecido por suas publicações sobre os fatores de sucesso dos estudantes universitários, ratifica as ideias apresentadas por Spears: Dificuldades acadêmicas; de adaptação à cidade, instituição, curso ou grupo social; a falta de metas claras, bem delineadas para a sua formação; a falta de comprometimento e; problemas financeiros.

Essas reflexões nos ajudam a pensar a evasão de forma mais ampliada, ou seja, não apenas pelos números das ocorrências, mas por suas causas. A evasão não é ato que se dá unicamente por conta do aluno, mas algo que parece ser, na grande maioria dos casos, decorrente de uma, ou várias lacunas no relacionamento entre quem oferta e quem se vincula a um projeto educacional.

No Brasil temos estudos específicos que indicam, como causas que levam à evasão, problemas no atendimento dos serviços que complementam as atividades em sala de aula, problemas com a infraestrutura, com o acesso e até com a falta de segurança nos campi. São análises que acrescentam informações importantes para compreender o caso brasileiro.

Por sua importância para evitar a evasão, esse conhecimento deve ser incorporado ao cotidiano da gestão de IES, pois revela caminhos para amenizar o problema indicando ações concretas para eliminar as causas da evasão nas IES. É preciso agir para interferir no fenômeno, eliminando ou reduzindo os fatores que geram a evasão, construindo modelos específicos de gestão, não da evasão, pois esta, como fato ocorrido, não pode ser gerida, mas para a construção de um contexto institucional voltado para a permanência dos alunos. Por isso, conhecer e considerar as causas da evasão é mais um passo importante para dar continuidade ao trabalho de levantar e analisar os dados de evasão nas IES brasileiras.

Assine

Assine gratuitamente nossa revista e receba por email as novidades semanais.

×
Assine

Está com alguma dúvida? Quer fazer alguma sugestão para nós? Então, fale conosco pelo formulário abaixo.

×